A higienização e os cuidados necessários para uma boa saúde bucal, partem, principalmente, dos cuidados adequados que o indivíduo pratica. Assim, problemas com mau hálito, cáries e gengivite podem ser resultados de uma má escovação e um cuidado bucal precário. Por isso, é importante se atentar aos detalhes no momento da limpeza.

Embora o cuidado individual seja determinante, a saúde bucal precisa ser fiscalizada e acompanhada por um profissional da área de modo a identificar necessidades, ofensores e formas de otimizar a higienização, bem como realizar os tratamentos de forma adequada.

Tal acompanhamento é fundamental em casos que, por exemplo, exigem um cuidado constante do aparelho de dente, a fim de mantê-los limpos e em boas condições, realizando a movimentação dental de forma segura.

Principais causas do mau hálito

O mau hálito ou halitose, propriamente dito, não é o mau cheiro advindo apenas de uma alimentação recente que apresenta um odor mais forte ou ruim. Isso porque, além desse fator, o odor sem aparente justificativa pode ser um sinal de que algo não está bem.

A princípio, pode parecer algo inofensivo, não sendo chamado de doença e sim de sintoma. 

Contudo, se não cuidado e identificado adequadamente, pode vir a se transformar em complicações mais graves, podendo virar uma doença séria e, em alguns casos, demandar a aplicação de implante dentario e atendimento profissional de prontidão. 

Dessa forma, entre as principais causas de mau hálito, estão:

  1. Má higiene bucal

A má higienização bucal é a principal causa do mau hálito. Assim, se não houver a escovação e o uso de fio dental apropriado, restos de alimentos irão se acumular entre os dentes, transformando os resíduos em um ambiente para bactérias e favorecendo o forte odor. 

Em caso de uso de aparelho de dente, esse problema é ainda mais comum, pois restos de comidas podem ficar acumulados em sua superfície se a higienização não for adequada.

  1. Alimentos com odores fortes

Dependendo de sua dieta, alimentos com um odor muito forte como cebola, alho e alguns vegetais (alimentos que são rico em enxofre, responsável pelo cheiro desagradável), potencializam a halitose, ainda mais se ficarem muito tempo em sua boca ou se não houver a limpeza em seu aparelho ortodontico.

  1. Tabagismo e consumo alcoólico

O consumo excessivo de cigarros e bebidas alcoólicas impregnam em sua boca, produzindo odores desagradáveis. 

Esse hábito também favorece a aparição de infecções, que podem vir a ocasionar em mais cheiros incômodos.

  1. Refluxo

Pode parecer confuso associar refluxo com mau hálito, porém, o ácido estomacal se mistura com alimentos e, ao retornar pelo canal, leva junto o gosto que lembra metal e um odor extremamente desgaradável. 

O próprio ácido estomacal muitas vezes danifica e altera a cor e a resistência dos dentes, podendo ser necessário um clareamento dental para reverter o dano ou mesmo a reposição de flúor e minerais para fortalecer a estrutura.

  1. Mau hálito matinal

Conhecida como halitose matinal, esse quadro ocorre quando se está de estômago vazio e a produção de saliva torna-a viscosa e, assim, aglomera bactérias, gerando um odor mais forte pela manhã. 

Por isso, é comum que dentistas recomendem que você escove os dentes logo após acordar, removendo as bactérias que se proliferaram no decorrer da noite.

Além disso, o mau hálito pode ser causado também por problemas associados a outras doenças crônicas ou problemas de saúde, como:

  • Problemas renais;
  • Insuficiência hepática;
  • Diabetes ou pré diabetes;
  • Depressão e estresse acumulado.

Contudo, o mau hálito também pode ser um indício de problemas com a saúde bucal, demandando atenção e uma avaliação profissional.

Doenças relacionadas à halitose

A halitose propriamente dita é provocada por diversas complicações já mencionadas, porém, como um dos principais fatores dela é justamente a má higienização bucal, ela pode ser resultado de problemas mais graves e que necessitam de um atendimento odontológico.

Desse modo, há algumas doenças que podem ser identificadas pelo mau hálito e estimulados pela má higienização bucal, como:

  1. Gengivite

Causada pela má escovação, a gengivite é uma inflamação provocada pelos maus hábitos higiênicos. Sendo assim, também causa mau hálito, virando um ciclo em a gengivite é impulsionada pela higienização inadequada e causa a halitose, e vice-versa.

  1. Cárie e xerostomia

Duas complicações muito comuns causadas pela má higienização são a cárie e a xerostomia.

O segundo quadro é representado pelo ressecamento e o aumento da proliferação de bactérias na cavidade oral.

Já a cárie é uma infecção causada justamente pelas bactérias não tratadas e acumuladas, podendo danificar a estrutura dentária, sendo necessário um tratamento correto e, algumas vezes, a reparação da estrutura comprometida por meio da lente de contato dental.

Importância da higienização diária e acompanhamento profissional

Dessa maneira, o melhor tratamento para halitose é uma boa saúde bucal. 

Ou seja, realizar sempre uma escovação efetiva é fundamental para diminuir casos de mau hálito e, consequentemente, prevenir que novas doenças sejam geradas. 

Também é recomendado que, antes ou após cada escovação, utilizar o fio dental para remover restos de alimentos dos dentes.

Portanto, pode-se concluir que a melhor maneira de prevenir doenças é por meio dos cuidados individuais e diários.

Contudo, a fim de buscar mais resultados e manter a saúde bucal em dia, o acompanhamento de um profissional mostra-se fundamental, principalmente se você já estiver passando por algum problema bucal.
Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações e conteúdos sobre os cuidados com a saúde física e mental.